Otimismo da população volta ao patamar pré-crise, aponta CNI

Indicador cresce 4,7% no terceiro trimestre em relação ao anterior, alcançando a marca dos 115,4 pontos

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

25 de setembro de 2009 | 11h59

O otimismo da população voltou ao patamar de antes do auge dos efeitos da crise financeira internacional, em setembro do ano passado. O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) relativo ao terceiro trimestre, divulgado há pouco pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que houve um crescimento no indicador de 4,7% em relação ao segundo trimestre, atingindo 115,4 pontos. O valor é praticamente igual ao levantamento do terceiro trimestre de 2008, quando ficou em 115,6 pontos. O resultado do último levantamento também está apenas 0,6 ponto porcentual abaixo do recorde histórico do INEC, de 116 pontos no terceiro trimestre de 2006.

 

Veja também:

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise

 

O INEC é composto pela média ponderada de seis fatores que afetam diretamente a inclinação do cidadão em consumir. Todos estes componentes melhoraram em relação à pesquisa do segundo trimestre. Mas segundo a CNI, a melhoria no INEC neste trimestre foi puxada pela expectativa de aumento no emprego, que passou de 118,4 pontos para 129,6 pontos no período, alta de 9,5%. Na comparação com o primeiro trimestre a diferença é muito maior: alta de 28,1%.

 

Na primeira pesquisa deste ano, 70% dos entrevistados acreditavam em um aumento do desemprego. No levantamento do terceiro trimestre, este porcentual caiu para 43%. "Trata-se de uma reversão de expectativas bastante expressiva, provavelmente em decorrência da melhora do mercado de trabalho e o aumento do emprego", afirma a CNI no documento.

 

Na comparação com o terceiro trimestre de 2008, o índice de expectativa em relação ao emprego ficou estável, com um leve recuo de 0,1%.

 

Consumo

 

A CNI avaliou que a melhora no otimismo em relação aos fatores ligados à situação financeira e ao nível de endividamento do cidadão, apontada no Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) do terceiro trimestre, sugere aumento do consumo no último trimestre de 2009. A pesquisa mostra que o índice de expectativa em relação à situação financeira cresceu 5,9% em relação ao INEC do segundo trimestre e teve uma queda de apenas 0,4% na comparação com o INEC do mesmo período do ano passado.

 

A pesquisa também revela que caiu o número de pessoas que espera ficar mais endividado. Além disso, cresceu o número de entrevistados que esperam melhorar a renda pessoal e as compras de bens de maior valor, além de ter melhorado a expectativa do consumidor em relação a queda da inflação.

Tudo o que sabemos sobre:
CNIotimismopopulação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.