coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Otimismo local perde força com NY e Bovespa fecha em queda

Após bater recorde, Bolsa de São Paulo cai 1,17%, com influência dos mercados norte-americanos; dólar sobe

Paula Laier, da Agência Estado,

11 de outubro de 2007 | 17h39

O mercado brasileiro não sustentou o otimismo da manhã, diante da piora das Bolsas nos Estados Unidos na parte da tarde. Após superar os 64 mil pontos, atingindo 64.169 pontos (+1,54%), a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) passou a operar em território negativo, chegando a cair quase 3%, na mínima. O Ibovespa fechou com queda de 1,17%, aos 62.455,8 pontos.  No segmento cambial, o dólar também interrompeu a trajetória de baixa e finalizou a sessão ligeiramente valorizado sobre o real. A moeda norte-americana terminou com alta de 0,06% no balcão, a R$ 1,806.  Em Nova York, após renovar máximas históricas intraday nesta quinta, o Dow Jones fechou com queda de 0,45%, o S&P 500 declinou 0,52% e o Nasdaq caiu 1,4%. O enfraquecimento de Wall Street foi puxado por perdas no setor de tecnologia, que contaminaram o mercado como um todo nos EUA, minando as operações brasileiras. No Brasil, além da possibilidade para realização de lucros intraday, o fechamento dos pregões nesta sexta, em razão de feriado nacional, reforçou o movimento de zeragem de posição, uma vez que o mercado nos Estados Unidos funcionará normalmente nesta sexta-feira e a agenda traz indicadores econômicos importantes, como a inflação no atacado, vendas no varejo e confiança do consumidor norte-americano.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespadólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.