Otimismo nos EUA sustenta commodities e açúcar sobe 4,13%

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2012 | 02h09

As commodities subiram com o otimismo que tomou conta dos mercados por causa de perspectivas positivas relacionadas às negociações nos Estados Unidos para evitar o chamado abismo fiscal. Se não houver acordo, o orçamento do país será reduzido automaticamente. Indicadores positivos da economia norte-americana também sustentaram os mercados. O dólar enfraqueceu e os produtos agrícolas negociados em bolsa ficaram mais baratos para os compradores internacionais. O açúcar foi um dos que mais subiram ontem na Bolsa de Nova York. O contrato para entrega em março saltou 4,13% e fechou a 19,94 centavos de dólar por libra-peso. Aliou-se ao otimismo em geral a ideia de que os fundos detinham muitas posições vendidas. Isso desencadeou compras tanto dos próprios fundos quanto de outros participantes.

Na mesma bolsa, o café subiu 3,21% e o cacau, 0,96%. No entanto, o otimismo não foi suficiente para impedir a queda de 0,80% do algodão. Há muita incerteza se a demanda pela pluma vai continuar firme e será capaz de mudar a situação de oferta ampla.

Na Bolsa de Chicago, o milho subiu 1,57%, com sinais de recuperação do interesse pela produção dos EUA. Ontem, em seu relatório de inspeção de exportações, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou que os embarques do cereal aumentaram bastante na semana que terminou em 8 de novembro, para 364,5 mil toneladas. Na semana anterior, 240,4 mil toneladas foram exportadas. A soja ganhou 0,83% e o trigo subiu 0,47%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.