Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Otimismo sobre economia dos EUA impulsiona bolsas da Ásia

As bolsas de valores da Ásia terminaram no maior patamar em quase três meses nesta quinta-feira, conduzidas pelas ações dos setores financeiro e de energia. O petróleo também avançou motivado por esperanças de que a desaceleração da economia norte-americana possa estar diminuindo.

RAFAEL NAM, REUTERS

26 de março de 2009 | 08h48

O dólar se manteve estável em relação às principais moedas, após ter despencado durante o pregão eletrônico com comentários do secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner. Ele afirmou que estava "aberto" ao aumento do uso do Direito Especial de Saque (SDR, na sigla em inglês) do Fundo Monetário Internacional, parecendo endossar a ideia apresentada pela China.

No começo desta semana, o presidente do Banco Central da China, Zhou Xiaochuan, afirmou que o mundo deveria considerar a utilização do SDR, uma cesta de dólares, euros, libras e ienes, como uma super moeda de reserva de valor.

Títulos regionais foram atingidos pelos ganhos dos mercados acionários, enquanto os Treasuries permaneceram estáveis, depois de terem caído na quarta-feira.

Fortes dados sobre encomendas de bens duráveis e vendas de moradias nos Estados Unidos alimentaram a alta das ações que persistiu por cerca de três semanas em meio a sinais de estabilização e confiança de que o setor financeiro já passou pelo pior.

"O principal fator que está mantendo o mercado para cima é o crescente otimismo com relação a uma recuperação econômica no final deste ano", disse Shane Oliver, diretor de estratégia em investimentos da AMP Capital Investors.

"Continuamos esperando para ver se já atingimos o fundo do poço ou não, mas a alta que temos visto nas últimas semanas provavelmente ainda tem mais um pouco para avançar", acrescentou ele.

O índice MSCI que reúne as principais ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia pela quarta sessão consecutiva. Às 8h27 (horário de Brasília), o indicador registrava alta de 2,46 por cento, para 255 pontos.

A redução das preocupações sobre a economia norte-americana junto a esperanças de que o governo dos EUA conseguirá limpar os ativos podres dos bancos motivaram uma alta de 18 por cento no índice MSCI até agora neste mês.

Autoridades monetárias têm munição de sobra para combater o declínio econômico mais profundo em décadas, e as medidas já tomadas serão fundamentais para recuperação, afirmaram os presidentes das unidades do Federal Reserve de São Francisco e Cleveland em comentários separados na quarta-feira.

O ministro das Finanças da China, Xie Xuren, afirmou que os países devem elevar seus pacotes de estímulo econômico se necessário para estimular a confiança do mercado.

O indicador Nikkei, de TÓQUIO, teve valorização de 1,84 por cento, com grandes exportadores como a Canon e a Sony entre os que mais apresentavam ganhos mais acentuados.

A bolsa de HONG KONG saltou 3,6 por cento, seguindo um avanço de 13 por cento do Banco Industrial e de Comércio da China.

A bolsa de SYDNEY subiu 1,03 por cento, enquanto TAIWAN ganhou 0,75 por cento e CINGAPURA teve valorização de 3,97 por cento.

O índice de XANGAI registrou alta de 3,06 por cento e as ações em SEUL subiram 1,20 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.