coluna

Louise Barsi: O Jeito Waze de investir - está na hora de recalcular a sua rota

Ouro é o melhor negócio do ano

O ouro é o investimento com maior retorno desde o início do ano. A rentabilidade, até o dia 11 de junho, foi de 29,30%, sendo que o segundo no ranking, o dólar, rendeu 14,91%, um pouco mais da metade. No mês, as posições se invertem, com o dólar apresentando retorno de 5,73%, e o ouro, de 4,51%. Essa valorização expressiva do metal deve-se ao cenário de muitas incertezas, já que esse investimento é considerado bastante seguro.De acordo com dados da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), a demanda por ouro cresceu em 2002. O preço do metal chegou a R$ 27,69 o grama na última quinta-feira, cotação recorde. No começo do ano, o preço era de R$ 21,50 e, no mesmo dia do ano passado, de R$ 21,00.Como o ouro é uma commodity e, portanto, o seu preço é formado no mercado internacional e independe da região onde o minério foi extraído, a sua cotação no Brasil toma por base os negócios na Bolsa de Nova York, em dólar, referentes à onça troy - uma medida de peso equivalente a 31,1035 gramas. Dessa forma, além da valorização do metal, ainda existe o componente da alta do dólar na variação de seu preço, o que explica os recordes que sua cotação vem batendo.O número de contratos negociados de ouro disponível (à vista) também é bem maior do que o registrado no começo do ano e em 2001. Até o final de maio de 2002, poucas vezes foram negociados mais de 25 contratos por dia. O recorde era do dia 12 de março de 2001, com 37 contratos negociados. No dia 6 de junho de 2002, foram negociados 61 contratos de ouro.Esse comportamento dos investidores intensificou-se bastante após o dia 31 de maio, quando os fundos de renda fixa começaram a ser marcados a valor de mercado. No próprio dia 31, foram negociados 10 contratos. No dia útil seguinte, foram 34. Nem nos dias subseqüentes aos atentados de 11 de setembro o investidor negociou tantos contratos de ouro: o maior volume naquela época foi registrado no dia 17 de setembro, com 27 negócios.Como investir em ouroQuem pretende investir em ouro pode comprar o ativo no mercado à vista ou no mercado de opções, embora este possua um volume pequeno de negócios. As duas opções são feitas na BM&F. No caso da compra do ativo no mercado à vista, depois de efetuar a compra do certificado de ouro, o investidor recebe uma declaração de posse, mas o ouro físico fica em poder da BM&F, que cobra 0,07% ao mês, ou de sete outros bancos autorizados a guardá-lo, mas que cobram mais caro (ver cartilha no link abaixo). Caso o investidor queira ficar com o ouro propriamente dito, deve ir ao banco depositário - onde o ouro está guardado - e resgatá-lo.Os contratos de ouro mais negociados equivalem a 250 gramas do metal, mas existem outros, que negociam quantidades menores do metal. É possível também comprar metal diretamente de uma instituição financeira, mas o investidor deve estar atento à forma como ele será entregue. A recomendação é de que ele venha lacrado e com certificado do banco responsável pela venda. A alíquota de Imposto de Renda (IR) da aplicação é de 20% e incide sobre o ganho apurado na data do resgate, qualquer que seja a forma com que se efetuou a compra.Veja no link abaixo mais informações na cartilha de Investimentos - Ouro, além de matérias com recomendações e dicas de investimento e com análises sobre a nova marcação a mercado dos fundos de investimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.