Ouro fecha perto da estabilidade com queda do petróleo

Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam praticamente estáveis nesta quarta-feira porque a queda nos preços do petróleo ajudaram a conter a influência positiva do anúncio de mais estímulo pelo Banco do Japão (BoJ) na madrugada desta quarta-feira.

PATRÍCIA BRAGA, Agencia Estado

19 de setembro de 2012 | 16h41

O contrato de ouro para entrega para dezembro, o mais negociado, avançou US$ 0,50 (0,03%), fechando a US$ 1.771,70 a onça-troy.

Os preços do ouro são altamente sensíveis as expectativas de inflação porque os investidores tendem a comprar o metal como forma de se proteger da alta nos preços e a queda nos preços de petróleo é vista como uma redução desse risco.

No começo da sessão os preços do ouro avançaram no território positivo após o Banco do Japão ter anunciado seu programa de compra de ativos, o que pode provocar flutuações no mercado de câmbio. Com essa decisão, o Japão se coloca no mesmo patamar de outros bancos centrais, elevando o risco de um enfraquecimento das principais moedas, o que leva os investidores a buscarem ativos como o ouro como uma forma de proteção.

O Banco do Japão elevou seu programa de compra de ativos de 70 bilhões de ienes para 80 bilhões de ienes, como uma forma de estimular a economia japonesa. Com a decisão, o BoJ se juntou aos BCs da Europa e EUA, que anunciaram recentemente novos esforços para estimular o crescimento de suas economias.

Os preços do ouro tendem a subir quando medidas de relaxamento quantitativo são anunciadas porque os participantes do mercado se preocupam que o dinheiro fácil possa contribuir para aumentar a inflação e buscam proteção para esse risco em ativos de porto seguro como o ouro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mercadoourofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.