Ouro volta ser bom investimento, diz especialista

O mercado de ouro, que liderou as aplicações em maio, com valorização de 10,9%, está voltando a atrair os investidores. Segundo o presidente da distribuidora Fitta e professor sobre o mercado de ouro nos cursos da BM&F, André Nunes, o metal está sendo procurado por investidores institucionais para diversificar as aplicações. Ele disse que 80% dos negócios com ouro atualmente são feitos por tesourarias de bancos e fundos de investimento. A elevação nas cotações do metal neste ano no mercado internacional estão sendo "puxadas" pelas incertezas da economia, principalmente no mercado europeu e asiático. No Brasil, o movimento de alta nas cotações do ouro e do dólar no final do ano passado foi em busca de proteção no período eleitoral. Este ano as cotações da moeda norte-americana recuaram, mas o preço internacional do metal continua em valorização consistente por causa da guerra EUA-Iraque e a perda de ritmo das economias mundiais.Nunes diz que embora no mês de junho haja uma retração nas cotações, "a tendência para futuro é de alta". Somente na BM&F foram negociados nos sete primeiros dias de junho R$ 90 milhões. O volume cresceu oito vezes em relação ao ano passado e atingiu médias superiores a 155 quilos de ouro por dia. No mercado internacional, especialmente Nova York e Londres, a onça-troy (31,103 gramas) supera os US$ 350. Eram US$ 330 nos dias que se seguiram ao final da guerra no Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.