carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Outlet de luxo europeu quer atrair turistas brasileiros

Rede pretende elevar País, atualmente 9º maior consumidor, à 4ª posição no ranking de países não europeus consumidores das marcas de luxo oferecidas com descontos de 30% a 70% 

Aline Vieira Costa, especial para O Estado de S. Paulo,

06 de novembro de 2012 | 17h39

A McArthurGlen, considerada empresa pioneira e líder em outlets de luxo na Europa, quer dobrar o número de brasileiros que fazem compras nas 21 lojas espalhadas pelo continente. Se depender da rede, em um ano, o Brasil, que atualmente ocupa a nona colocação no ranking de volume de compras, será o quarto maior país não europeu consumidor das marcas de luxo oferecidas com descontos de 30% a 70%. Para atingir esse objetivo, a empresa decidiu incluir o país na estratégia comercial internacional da empresa e escolheu a Royal Collection como representante local.

De acordo com o diretor da Royal Collection, Danni Guimarães, a estratégia inicial é fechar parcerias com as maiores agências de viagem e operadoras de turismo, além de fazer treinamentos, eventos e patrocínios. "Diferente do outlet americano, o europeu tem lojas de alto design, com marcas famosas. E nós queremos incluir a McArthurGlen no roteiro de viagem dos turistas que vão a Europa".

Atualmente a McArthurGlen possui cerca de 20% do mercado europeu - a maior fatia - de "designer outlets" que comercializam peças de grifes reconhecidas internacionalmente. São mais de 600 mil metros quadrados de lojas em oito países da Europa, com 75 milhões de visitantes por ano. Só no primeiro semestre deste a rede percebeu 40% de incremento nas compras feitas por brasileiros, o que motivou o investimento.

Nas prateleiras, as peças, de estações passadas, são das marcas mais cobiçadas do mundo, como Prada, Gucci, Burberry, Roberto Cavalli, Salvatore Ferragamo, Dolce & Gabbana, Bulgari, Versace, Hugo Boss, Ralph Lauren, Ermenegildo Zegna, Fendi, Valentino e Armani. Uma calça jeans Diesel, que custa R$ 1 mil no Brasil, pode ser comprada lá por € 40.

"Os dados de investimento são confidenciais, mas o Brasil é umas das maiores apostas fora da Europa, junto com a Coréia do Sul, Rússia e China, países onde a empresa abriu escritórios de representação", disse o diretor de Turismo da McArthurGlen, Anthony Rippingale. Segundo ele, só nos oito primeiros meses de 2012 houve 60% de aumento em volume de compras para clientes não europeus. Uma novidade é que em 2014 a rede irá inaugurar a primeira loja McArthurGlen em outro continente: será em Vancouver, no Canadá.

Tudo o que sabemos sobre:
OutletsEuropaConsumoBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.