Ouvidor da Anatel defende criação de gigante do setor

O ouvidor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Aristóteles dos Santos, defendeu a criação de uma "empresa nacional" de telecomunicações, como a que poderá resultar de uma futura fusão - apoiada pelo governo - da Oi/Telemar com a Brasil Telecom (BrT). A defesa de Santos consta do relatório analítico da Ouvidoria da Anatel, apresentado hoje em entrevista coletiva à imprensa."Em muito boa hora o governo Lula toma a iniciativa de trazer ao debate público a instituição de uma empresa de telecomunicações de âmbito nacional para competir em igualdade de condições com os demais players", afirmou. Na opinião de Santos, essa operadora terá condições de criar a competição que hoje não existe no setor de telefonia fixa.O relatório do ouvidor não cita nomes de companhias, mas diz que o debate "busca uma empresa competitiva, economicamente forte e socialmente compromissada com o Brasil". Santos previu que haverá reações contrárias a essa idéia, vindas, por exemplo, de empresas "que não querem a competição".O ouvidor acha que a criação da empresa nacional deve vir acompanhada de outras iniciativas, como a separação das atuais concessionárias em empresas de serviços e empresas de infra-estrutura, criando condições para que outras companhias ofereçam os serviços de telefonia utilizando a rede já existente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.