-15%

E-Investidor: como a queda do PIB afeta o mercado financeiro

Ovos de Páscoa têm alto teor de gordura e açúcar, mostra teste

Avaliação da Pro Teste analisou 30 chocolates e nenhum foi aprovado; rótulos e brindes também têm problemas

da Redação, estadao.com.br

30 de março de 2009 | 17h03

Uma avaliação da Pro Teste mostra que ovos de Páscoa têm alto teor de gordura e açúcar e alerta que consumo deve ser moderado. Foram encontrados problemas também nos brindes e rótulos dos produtos. A análise foi feita com 30 ovos de Páscoa - 13 infantis e 17 de adultos -  e concluiu que todos os produtos apresentam teor inadequado de açúcar, independentemente da faixa etária a que se destinam. 

 

Veja também:

lista Veja lista completa de ovos de Páscoa avaliados pela Pro Teste

linkOvos de Páscoa estão em média 12% mais caros, aponta FGV

 

Do ponto de vista nutricional, há algumas opções para crianças a partir de sete anos. Há dois produtos, porém, que não são indicados nem para adultos: Kopenhagem ao Leite e o Top Milk. Uma porção de 25g desses chocolates ultrapassa os 20% de limite diário de consumo de açúcar e de gordura. Apenas um dos produtos testados, o Sonho de Valsa, pode ser consumido de maneira moderada por crianças a partir de 4 anos. 

 

Nesta avaliação, foram verificados os teores de açúcar, gordura saturada, gordura trans e colesterol. O valor considerado aceitável pelo teste ia até 20% da recomendação diária por porção. Em nenhum dos chocolates analisados foi encontrado gorduras trans.  O resultado completo do teste comparativo está disponível no site da Pro Teste, acessível mediante registro.

 

Rótulos e brindes 

 

De todos os ovos com brindes avaliados, apenas a corneta que vem dentro do chocolate Rei do Futebol foi reprovado quanto à segurança. Segundo a Pro Teste, o som do brinquedo atingiu 120 decibéis, comparável ao de um show de rock. 

 

Na análise de rotulagem, os problemas foram informações confusas referentes ao selo do Inmetro. Os dados devem estar tanto nas embalagens externas quanto nas do brinquedo. Dos 13 ovos de Páscoa infantis avaliados, apenas 7 tinham informações adequadas em relação ao selo de conformidade. O Inmetro foi notificado para avaliar e tomar as providências necessárias.

 

Os rótulos dos ovos Smilinguido e Rei do Futebol informam somente a idade recomendada para brincar, mas não tem o certificado do Inmetro. A embalagem do ovo Nestlé Surpresa Moranguinho informa que dentro há um brinde "certificado voluntariamente", e que o brinquedo (maquiagem) apresenta o logo do organismo certificador. Essa informação é confusa, pois a certificação do brinquedo é obrigatória no Brasil. Além disso, o brinquedo deve apresentar o selo de conformidade do Inmetro.

 

A embalagem do Seninha também não informa que dentro do ovo há um lança disco devidamente certificado, mas traz o selo. Isto pode induzir o consumidor a pensar que o ovo também seja certificado, e não somente o brinquedo, o que gera confusão. Porém, este problema é menos grave do que os outros, pois o brinquedo está devidamente certificado.

Tudo o que sabemos sobre:
ovos de PáscoachocolatePro Teste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.