Ovos de Páscoa têm diferença de até 57% nos preços

O preço dos ovos de Páscoa pode variar até 57% de uma loja para outra, segundo revelou pesquisa divulgada nesta terça-feira, 27, pela Fundação Procon-SP. De acordo com o levantamento, os bolos e bombons também podem apresentar variação de até 67% e 60%, respectivamente. A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 13 de março e levou em conta os preços de dez estabelecimentos comerciais, distribuídos pelas cinco regiões da cidade de São Paulo.A maior diferença de preço constatada pelo levantamento foi na Lata Colomba Pascal Frutas, com 500 gramas, da marca Bauducco. Nas Lojas Americanas o produto era vendido a R$ 19,99, enquanto na Chocolândia o preço era de R$ 11,99. Ou seja, a variação foi de 66,72%.A segunda maior diferença foi constatada na caixa de bombom Ferrero Rocher, com 15 unidades e 187 gramas, que teve uma discrepância de 59,74% em seu valor. O maior preço apontado foi de R$ 16,90, no Carrefour, enquanto o menor foi de R$ 10,58, no Wal Mart.A diferença entre os ovos de Páscoa foi um pouco menor. O ovo de Páscoa que ficou com a diferença mais acentuada foi o Diamante Negro em forma de diamante número 20 (350gramas), da Lacta, que era vendido a R$ 30,99 no Pão de Açúcar, enquanto o preço cobrado na Andorinha era de R$ 19,80. A diferença de preço corresponde a 56,52%.Outro produto que teve uma variação elevada foi o Carros ao Leite número 15 (180 gramas), da Garoto. No Wal Mart eram cobrados R$ 18,63 pelo produto, enquanto na Kanguru, o preço era de R$ 12,59. Com R$ 6,04 de distância entre um valor e outro, a disparidade chegou a 47,97%.A pesquisa divulgada pelo Procon-SP constatou que do total dos itens pesquisados, a loja Chocolândia, na região Sul, foi a que apresentou a maior quantidade de produtos com menor preço.O Procon informa ainda que os preços dos ovos de Páscoa, apesar de estarem mais altos, tiveram um aumento dentro da margem da inflação medida pelo Índice de Preço ao Consumidor (IPC), calculado pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (Fipe). Enquanto a taxa ficou acumulada em 3,12% de março de 2006 a fevereiro de 2007, o preço médio do produto subiu 3,08%. O documento revela ainda que os bolos de Páscoa registraram um queda de 3,73% no mesmo período do ano passado e os bombons uma diminuição de 3,09%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.