Ozires defende mudanças no setor de aviação

O coordenador-geral do I Fórum Brasileiro para o Desenvolvimento da Aviação Civil, Ozires Silva, defendeu hoje mudanças na regulação do setor aéreo do País e um novo canal de relacionamento entre as empresas e o governo. De acordo com Ozires, buscar alternativas para essas mudanças é o objetivo desse primeiro fórum, aberto hoje, e que terminará amanhã, com a elaboração de um documento do setor com sugestões e um diagnóstico da aviação comercial no País. Para o engenheiro, existem hoje problemas para o desenvolvimento do setor que são resultado de um excesso de interferência do governo, seja por via da legislação, seja pelo controle de alguns insumos essenciais para a atividade, como combustível, a fixação de taxas aeroportuárias e o controle de leasing de aeronaves. "O setor carece de mudanças porque em permanecendo o esquema atual, empresas hoje saudáveis, como Gol e TAM podem ser a Varig de amanhã", afirmou Ozires. "Pode ser que essas empresas (saudáveis) estejam vivendo uma bolha. Mas continuando como está a base da nossa regulamentação, isso pode não se sustentar", completou. O Fórum, que se realiza em um hotel de Brasília, reúne representantes de cerca de 20 segmentos da indústria aeronáutica (empresas aéreas, nacionais e regionais; apoio, manutenção, fornecimento de alimentos e sindicatos dos funcionários) e mais de 5 mil empresas desses setores. À tarde, as reuniões serão fechadas, por segmento. Amanhã, o fórum deve aprovar um documento final e a criação da Confederação Brasileira da Aviação Civil, que pretende representar toda cadeia aeronáutica.

Agencia Estado,

03 Maio 2005 | 14h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.