PAC 2 prevê investimentos de R$ 125,7 bi na exploração do pré-sal

A segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC 2, prevê investimentos de R$ 125,7 bilhões na exploração e produção da camada pré-sal. Deste total, R$ 64,5 bilhões seriam aportados de 2011 a 2014, e R$ 61,2 bilhões, após 2014. O programa prevê o início da produção em áreas como Guará, Iara, além dos pilotos em Tupi e Baleia Azul.

Célia Froufe e Leonardo Goy, da Agência Estado,

29 de março de 2010 | 11h39

 

O PAC 2 também prevê a liberação de financiamentos de R$ 36,7 bilhões para a indústria naval por meio do Fundo da Marinha Mercante. Esse montante seria liberado entre 2011 e 2014 e é mais do que o dobro dos R$ 17,4 bilhões que foram liberados de 2003 até agora.

 

 

Fertilizantes devem levar R$ 11,2 bilhões

 

A segunda fase do programa de aceleração do crescimento (PAC 2) prevê investimentos da ordem de R$ 11,2 bilhões no setor de fertilizantes. Deste total, R$ 9,1 bilhões seriam aplicados no período 2011-2014 e R$ 2,1 bilhões após 2014. O objetivo dos investimentos, segundo o material de divulgação distribuído para a imprensa, é o de reduzir a dependência do insumo importado e, consequentemente, o custo da produção agrícola.

 

No programa, estão previstas novas plantas e/ou ampliações nas cidades de Três Lagoas (MS), Linhares (ES), Uberaba (MG) e Laranjeiras (SE). Hoje à noite, está prevista uma audiência do ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (18h). Na ocasião, Stephanes apresentará a proposta, feita em conjunto com o Ministério de Minas e Energia, para a nova regulamentação para o setor de fertilizantes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.