PAC pode propiciar aumento do consumo de aço no País

O consumo de aço no País poderá crescer além da estimativa inicial de 6% prevista para este ano por causa das desonerações e previsões de investimento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A avaliação é do vice-presidente executivo do Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS), Marco Polo de Mello Lopes, que participou do anúncio do governo realizado nesta segunda-feira em Brasília.De acordo com Mello Lopes, os investimentos previstos para os setores de energia, infra-estrutura e construção civil são um "sistema de realimentação" que pode induzir o crescimento do setor. "O consumo per capita de aço no País se mantém em 100 quilos por ano há 26 anos. Com um crescimento anual do PIB na casa dos 3%, precisaríamos de 39 anos para igualar o consumo de países como a Espanha, que consome 500 quilos por ano", afirma.A redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos perfis de aço (produtos de pequeno porte, como cantoneiras, utilizados basicamente na construção civil) foi bem-vinda na opinião de Mello Lopes. Ele lembra que outros produtos siderúrgicos, como vergalhões, já haviam recebido tratamento similar. O vice-presidente do IBS, porém, preferiu não comentar se o governo alcançará sua meta de promover crescimento de 5% ao ano do PIB com o PAC. "Temos que analisar principalmente o corte dos gastos correntes", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.