Divulgação
Divulgação

Pacote de concessões deve incluir renovação da Rumo

A malha paulista é estratégica, porque se estende de Mato Grosso, maior produtor de grãos do Brasil, até o Porto de Santos

Reuters

28 Junho 2016 | 09h44

O primeiro pacote de concessões em logística do governo do presidente interino Michel Temer, que deve ser anunciado no mês que vem, deverá incluir a renovação do contrato da malha ferroviária paulista da Rumo (ex-ALL), cuja concessão vence em 2028, afirmou uma fonte do governo a par do assunto.

Segundo essa fonte, a renovação do contrato da Rumo deve envolver investimentos de cerca de R$ 5 bilhões para a construção de pátios, duplicações, contornos e travessias urbanas, com a prorrogação da concessão por um prazo que ainda não definido, mas que pode chegar a 30 anos.

A malha paulista da Rumo é estratégica, porque se estende de Mato Grosso, maior produtor de grãos do Brasil, até o Porto de Santos.

A renovação do contrato da malha paulista da Rumo deve fazer parte do primeiro pacote de concessões do novo governo, que será anunciado no início de julho, após ser discutido e referendado pelo conselho do Programa de Parcerias de Investimento (PPI), em reunião presidida pelo próprio Temer.

Além da renovação do contrato da malha paulista da Rumo, o pacote deve incluir a licitação de um trecho ferroviário novo, a ser construído pelo vencedor da concessão, entre a região de Sinop, no Mato Grosso, até Miritituba, no Pará. Conhecida no mercado como “Ferrogrão”, essa futura ferrovia, que demandará cerca de 9 bilhões de reais para sair do papel.

O pacote que será anunciado deverá incluir a concessão de quatro aeroportos, os mesmos cujo processo já vinha sendo tocado pela presidente afastada Dilma Rousseff: Fortaleza (CE), Salvador (BA), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.