Pacto comercial Chile-EUA beneficia produtores de cobre

O novo acordo de livre comércio entre os EUA e o Chile a ser assinado na sexta-feira, fortalecerá a competitividade dos produtores chilenos de cobre no mercado desse produto nos EUA, afirmam investidores do setor. O Chile é o maior produtor mundial de cobre e já é o maior exportador do metal para os EUA. Segundo o acordo, os EUA removerão uma tarifa de importação de 1%, imposta atualmente sobre o cobre chileno em 2005. Em 2004, o Chile poderá exportar 55.000 toneladas métricas de cobre aos EUA, sem impostos. Qualquer quantia remanescente de próximas exportações de cobre do Chile para os EUA terão um imposto de 0,5%. "O Chile tentará vender mais cobre aos EUA. O material se tornará mais competitivo", afirma um representante comercial de grande produtor chileno de cobre. Em 2002, o Chile ocupou a primeira posição dentre os exportadores de cobre para os EUA, com um volume de exportações ao redor de 350.000 toneladas, seguido pelo Peru, com aproximadamento 270.000 toneladas. O cobre do Chile exercerá um papel importante no mercado norte-americano, já que os produtores locais no sudoeste dos EUA possuem elevados custos de produção e, dessa forma, preços mais elevados, afirmam os players. Embora as vendas de cobre do Chile aos EUA devam subir devido ao novo incentivo comercial, fontes de produtores não estimam um crescimento significativo nas exportações aos EUA. A Ásia, maior região mundial de crescimento em termos de consumo de cobre, continuará atraindo mais o metal do que a América do Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.