Reprodução
Reprodução

Pacu da Amazônia ameaça turistas na Dinamarca

Peixe costuma morder testículos de banhistas e já apareceu também no Textas e na Polônia

11 de agosto de 2013 | 20h41

SÃO PAULO - Uma espécie de Pacu originário da Amazônia está prejudicando o turismo no sul da Suécia. O peixe tem o hábito de atacar testículos e levou as autoridades a espalhar placas alertando os banhistas para o perigo.

O peixe apareceu nas águas do estreito que separa a Suécia e a Dinamarca. Parente distante da Piranha, segundo informou o jornal italiano Corriere Della Sera, o peixe é citado também em reportagens do jornal dinamarquês Ekstrabladet.

Especialistas do Museu de História Natural da dinamarca foram chamados para explicar o fenômeno e disseram que o peixe vive normalmente nas águas do rio Orinoco, na Amazônia.

A espécie tam dentes parecidos com os de humanos e tem sido vista também na Nova Guiné e já foi visto em um lago no Texas, para onde alguns exemplares teriam sido contrabandeados.

Não é a primeira vez que um exemplar é encontrado nas águas da Europa: na Polônia, em 2002, um caso já havia sido registrado.

Normalmente o peixe não seria perigoso para os seres humanos, mas foram registrados incidentes em vários países, como Papua Nova Guiné, onde alguns homens foram mordidos nos testículos, explicou explica Henrik Carl.

"Eles mordem de fome, e eles têm uma boca perfeitamente adequados para a parte do corpo", acrescentou o especialista.

A recomendação é a de que os bahnistas jamais nadem sem roupa. "O peixe normalmente come nozes, frutas ou outros peixes pequenos, mas os testículos humanos são um alvo perfeitamente natural", acrescenta o especialista.

A Universidade de Copenhagen advertiu aos nadadores para "manter o seu traje de banho" sempre. O peixe mede em média 21,5 centímetros, mas em algumas regiões pode chegar a 90 centímetros.

Tudo o que sabemos sobre:
Pacu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.