Pagamento de juro de janeiro a setembro é recorde

Dado reflete o aumento da inflação em relação a 2009 e o fim dos ganhos com swap cambial 

Célia Froufe e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

29 de outubro de 2010 | 14h06

O pagamento de juro do setor público consolidado no período de janeiro a setembro deste ano somou R$ 139,770 bilhões, o maior resultado da série para o período, de acordo com o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes. A elevação, de acordo com ele, reflete o aumento da inflação na comparação com o ano passado (tanto IPCA quanto IGPs) e o fim dos ganhos com swap cambial que, em 2009, ajudaram a amenizar a conta de juros.

Altamir, destacou que o IPCA possui peso pouco maior que 24% da dívida líquida e que o IGP-M apresentou "diferença razoável" em relação ao ano passado. Nos juros, a Selic acumulada em 12 meses caiu de 11,29% no período até setembro de 2009 para 9,27% em setembro de 2010. Sozinho, esse fato reduziria a despesa com juros da dívida.

Mas, por outro lado, os contratos de swap cambial que haviam contribuído positivamente com cerca de R$ 6 bilhões no período anterior a setembro de 2009, atualmente não geram efeito nenhum nas contas. No ano passado, o BC teve ganhos com os contratos de swap e o lucro era abatido da conta de juros.

Quanto à inflação, o IPCA subiu de 4,34% nos 12 meses até setembro de 2009 para 4,70% nos 12 meses até igual mês de 2010. No IGP-M, houve troca de sinais de uma deflação de 0,39% para alta de 7,77% na mesma base de comparação. No caso do IGP-DI, o índice passou de deflação de 0,65% para inflação de 7,96% de um ano para o outro. Nesses três casos, o aumento da inflação gera maiores despesas de juros para o Tesouro Nacional, já que parcela importante da dívida pública segue índices de preço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.