Pagamentos: quando a fatura não chega

Quando a fatura não chega a tempo, o consumidor corre o risco de esquecer o compromisso assumido e, muitas vezes, não sabe como proceder quanto ao pagamento. O Procon diz que é preciso manter um controle de contas a pagar para evitar atrasos, pois o erro pode acabar saindo do bolso do consumidor. "Todo pagamento é estabelecido por um contrato. Nele, constam valores, serviços ou produtos adquiridos, forma, local e prazo de pagamento. Por isso, o consumidor tem que pagar a conta no dia contratado, mesmo que a fatura não venha", esclarece Maria Lumena Sampaio, diretora de atendimento do Procon-SP.Por não estar eximido do pagamento, o consumidor deve entrar em contato com a empresa em questão para comunicar o atraso da fatura. Muitas empresas têm um SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) para informar o local e o procedimento para pagar a conta ou emitir a 2ª via da fatura. Em alguns casos, a emissão da 2ª via é cobrada. Por isso, o cliente precisa tirar suas dúvidas antes de autorizar qualquer procedimento.Se optar por ir até a empresa, o consumidor só deve pagar a conta para uma pessoa habilitada a receber o pagamento, nunca para o vendedor da loja ou um representante da concessionária. Também é aconselhável guardar um recibo ou uma declaração datada que comprove a quitação da fatura. Esse documento comprovará o pagamento da conta no caso de nova cobrança ou multa. Além disso, confirmar os dados cadastrais, verificando se o nome e o endereço do titular foram anotados corretamente, evita que o erro volte a ocorrer. A diretora do Procon-SP diz que, caso o extravio da fatura torne-se freqüente, o cliente deve reclamar. "Se o boleto não chegar três vezes consecutivas e os dados cadastrais estiverem coretos, o cliente pode denunciar a empresa por má fé. O consumidor tem que questionar a empresa por obrigá-lo a correr atrás do pagamento todo mês", afirma ela. "Nesse caso, o melhor a fazer é mudar o sistema de pagamento e não aceitar nenhum tipo de encargo por causa do atraso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.