Pague Menos tem registro inicial de cia aberta

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) concedeu registro inicial de companhia aberta à rede de farmácias cearense Pague Menos. A solicitação da empresa não inclui o pedido de lançamento de ações. A autorização da CVM foi publicada no site da instituição na última sexta-feira.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

23 de outubro de 2011 | 18h06

O desejo da Pague Menos de abrir seu capital não vem de hoje. Em entrevista à Agência Estado, em outubro de 2009, o então presidente da Pague Menos, Deusmar Queirós, informou que pretendia realizar uma Oferta Inicial de Ações (IPO, na sigla em inglês), o que poderia acontecer até 2012. "Ainda não temos escala para abrir o capital, mas vamos manter nosso ritmo de crescimento e acredito que possamos realizar um IPO em 2012", disse o executivo na época.

Para viabilizar a abertura de capital, explicou o executivo na ocasião, a Pague Menos havia contratado a KPMG para a auditoria dos balanços e a Ernst & Young para providenciar os ajustes necessários em relação às práticas de governança corporativa que seriam adotadas pela companhia.

A Pague Menos fatura US$ 2 bilhões por ano e possui mais de 400 lojas distribuídas no Brasil, segundo informações do site da rede. De acordo com o ranking da Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), as cinco maiores redes em faturamento em 2010 foram, respectivamente, Drogaria São Paulo (após incorporação da Drogão); Pague Menos; Drogasil; Pacheco; e Droga Raia.

Em número de lojas, a Pague Menos ocupou a liderança em 2010. Em seguida estão Droga Raia; Drogaria São Paulo; Pacheco; e Drogasil. Desde então, porém, Droga Raia e Drogasil anunciaram a fusão de suas operações, no início de agosto, e, mais recentemente, Drogaria São Paulo e Drogarias Pacheco fizeram o mesmo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.