País cresceu mesmo após a crise de 2002, destaca Meirelles

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, comemorou o crescimento do PIB em 2003, revisado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de -0,2% para +0,5%. "Esse é um dado importante porque o País saiu de uma crise cambial em 2002, mas já começou a crescer no primeiro ano após essa crise", disse Meirelles, lembrando que outras economias que viveram situações semelhantes a do Brasil em 2002 tiveram no ano seguinte uma queda de PIB. Para o presidente do BC, o crescimento de 5,3% da economia até o terceiro trimestre de 2004 é um número "extraordinário e que mostra o sucesso do Brasil e da política econômica". Meirelles repetiu que a economia está crescendo hoje "a taxas vigorosas". O presidente do BC disse que os analistas devem subir suas projeções para a taxa de crescimento do PIB em 2004 com base nos dados divulgados hoje pelo IBGE. A última pesquisa feita pelo BC revelou que a expectativa para o crescimento econômico em 2004 era de uma taxa de 4,7%. Investimento O presidente do BC destacou ainda a taxa de crescimento dos investimentos no País confirma a criação das "bases para o crescimento sustentado". Segundo os dados do IBGE, essa taxa cresceu 6,7% no terceiro trimestre ante o segundo. Meirelles destacou também o crescimento acumulado do investimento no ano, até o terceiro de trimestre, de 11,8%. Na avaliação do presidente do BC, os números divulgados esta manhã pelo IBGE mostram que a economia brasileira "está entrando em um ciclo virtuoso de crescimento". Meirelles também enfatizou, durante sua apresentação ante um conjunto de seis comissões do Congresso, os dados sobre a produção industrial do País, as vendas no varejo, o emprego formal e a taxa de desemprego.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.