País cria 142.496 vagas com carteira assinada

Resultado de julho reflete 1.753.241 admissões e 1.610.745 demissões, segundo Ministério do Trabalho

Economia & Negócios e Agência Estado,

16 de agosto de 2012 | 14h38

SÃO PAULO - O número de vagas de trabalho com carteira assinada chegou a 142.496 postos em julho, segundo informou nesta quinta-feira, 16, o Ministério do Trabalho e Emprego. O resultado é superior ao do mês passado, quando foram gerados 120.440 postos formais e também superior ao de julho do ano passado, de 140.563.

 

O resultado do mês passado é fruto de 1.753.241 admissões e 1.610.745 desligamentos. No acumulado do ano até o mês passado, o saldo liquido de empregos ficou em 1.232.843 postos.

Os dados do Caged mostram que houve expansão generalizada do emprego em julho. A maior alta foi verificada em Agricultura, com alta 1,42% sobre o mês passado. Também foram destaque: Serviços (0,25%), a Construção Civil (0,83%), a Indústria de Transformação (0,30%) e o Comércio (0,27%).

A Extrativa Mineral (0,80%) e os Serviços Industriais de Utilidade Pública (0,42%) também se sobressaíram, ao registrarem os segundos melhores saldos da série histórica para o mês.

Expansão em todos os Estados

Pela primeira vez no ano todos os Estados e o Distrito Federal registraram expansão do mercado de trabalho formal. Entre os destaques positivos em volume estão São Paulo (47.837), Minas Gerais (19.216), Rio de Janeiro (13.439), Pará (6.759) e Ceará (6.695). O documento do Ministério enfatizou também que, relativamente, merecem atenção Mato Grosso (5.927), Mato Grosso do Sul (1.896), Amapá (806) e Roraima (760).

Também em julho, a região Sudeste criou 83.093 postos formais de trabalho. Em seguida, veio a região Nordeste, com a geração de 21.184 postos. Enquanto o Sul foi responsável por 13.060 vagas no mês passado, o Norte criou 12.883 vagas. No Centro-Oeste, o saldo foi de 12.276 postos.

Segundo os dados do Caged, a criação de postos de trabalho em julho no interior do País foi de 69.382. Já nas áreas metropolitanas, o saldo no período ficou em 38.865 vagas. A área metropolitana do Recife (PE) foi a única a apresentar retração do mercado de trabalho com carteira assinada no mês passado. Na ocasião, o volume de desligamentos superou as contratações em 1.792 vagas. O desempenho deve ser atribuído, conforme o MTE, ao setor de serviços, que ficou negativo em 1,4 mil postos no mês passado na região.

Os destaques das áreas metropolitanas em julho foram São Paulo (13.835 postos), Rio de Janeiro (9.249), Belo Horizonte (8.625) e Fortaleza (3.008). Já no interior, merecem atenção São Paulo (34.002), Minas Gerais (10.591), Paraná (5.536) e Pará (4.876).

O Estado de São Paulo sozinho foi responsável pela abertura de 47.837 postos de trabalho formais em julho. O resultado foi positivamente influenciado pelos setores agropecuária (16.127), Serviços (13.411) e Comércio (9.372).

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
cagedemprego formal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.