País criou 1 milhão de vagas no ano, diz Lupi

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anunciou ontem que o Brasil ultrapassou, em outubro, a marca de 1 milhão de empregos formais criados desde o início do ano. O dado fechado, disse Lupi, será anunciado nos próximos dias, nas estatísticas do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Até setembro, a conta de novos postos formais em 2009 somava 932.651 - com grande impacto dos meses de agosto e setembro, quando foram criados quase 500 mil novas vagas.

AE, Agencia Estado

10 de novembro de 2009 | 09h15

A marca anunciada por Lupi é bem inferior aos 2.086.570 de empregos gerados entre janeiro e outubro de 2008. Mas, na opinião do ministro, já indica a recuperação da economia brasileira após a crise financeira. "Já estamos vendo a crise pelo retrovisor. A crise, hoje, é só para gringos", disse, após a abertura da Feira e Conferência Internacional de Tecnologia Naval e Offshore (Fenashore), em Niterói (RJ).

Em seu discurso na cerimônia de abertura do evento, o ministro citou as medidas anticrise tomadas pelo governo e reclamou de projeções "pessimistas" sobre o mercado de trabalho em 2009. "Quando eu disse, em janeiro, que criaríamos mais de um milhão de empregos este ano, cheguei a ser ridicularizado, só faltaram me chamar de louco", comentou. "Agora, vão ter que aturar." Em setembro, a indústria de transformação foi o motor do bom desempenho no quadro de empregos, com a geração de 123 mil novas vagas, recorde histórico das estatísticas do Caged. O único segmento que apresentou fechamento de vagas foi a agricultura, com 17 mil postos de trabalho a menos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
empregoLupivagas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.