Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

País enfrenta mais um dia de protesto e greve

A Grécia enfrentou ontem mais um dia de greve, um dia após o Parlamento aprovar novos cortes de gastos para enfrentar a crise. Funcionários públicos municipais e do banco estatal ATEbank continuam parados. Os trabalhadores dos portos anunciaram uma nova greve de 48 horas.

O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2011 | 03h04

A Adedy, central sindical do setor público, pediu a ocupação contínua dos escritórios do governo. Entre os grupos parados ontem, estavam os funcionários do Ministério das Finanças. Na quinta-feira, o Parlamento grego aprovou novas medidas de austeridade em troca de mais um pacote de ajuda financeiro da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI). A medida foi aprovada por 154 votos a 144.

A discussão das medidas pelo governo causou protestos quase diários pela Grécia e culminou com uma greve geral de dois dias nesta semana. Na quarta-feira, 100 mil pessoas foram às ruas de Atenas para protestar. Na quinta-feira, confrontos entre manifestantes comunistas e jovens anarquistas deixaram mais de 70 feridos e dezenas foram presos. Um homem morreu. Os protestos pões em dúvida a capacidade da Grécia de implementar as medidas de austeridade. /DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.