País importará gás da Venezuela a partir de 2013, diz Petrobras

Durante cúpula em Madri, diretora da estatal nega que Brasil esteja vivendo um apagão do combustível

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

02 de julho de 2008 | 12h22

A diretora de gás e energia da Petrobras, Maria das Graça Foster, disse que o Brasil fechou um acordo com a estatal da Venezuela, PDVSA, para importação de Gás Natural Liquefeito (GNL) a partir de 2013. Serão importados o equivalente a um milhão de toneladas por ano, vindo de refinarias da PDVSA. Ela falou nesta quarta-feira, 2, em coletiva da Petrobras, durante o 19º World Petroleum Conference (WPC), realizado em Madri.   Maria das Graças afirmou que não há apagão de gás no Brasil. "Todas as empresas contratadas sabem das condições de cada contrato", afirmou, em uma referência aos contratos fechados no final do ano entre Petrobras e distribuidoras de gás na modalidade interruptível e flexível. No primeiro caso, a estatal pode deixar de entregar o gás sem nenhum ônus, no segundo, se não tiver gás para cumprir o contrato, pagará a diferença de preço para uso de outro combustível, como o óleo.   Nesta semana a secretária de Energia e Saneamento de São Paulo, Dilma Pena, afirmou em reportagem ao jornal Folha de S.Paulo que o Estado vive um apagão do gás e as empresas estão desistindo de fazer novos investimentos por falta do combustível.   A diretora da Petrobras garantiu que neste momento existe um carregamento de gás natural liquefeito vindo de Trinidad Tobago, mas não disse quando chegará ao Brasil e nem especificou quantidade.

Mais conteúdo sobre:
gásVenezuelaPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.