País não estava preparado para infraestrutura

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou nesta quinta-feira, durante balanço da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), que o País não estava preparado para fazer investimentos em infraestrutura.

ANNE WARTH, CÉLIA FROUFE E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

26 de julho de 2012 | 13h11

"A máquina pública e as empresas não estavam preparados. O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), por exemplo, suspendeu e voltou uma série de projetos sem a mínima qualidade", comentou. Segundo ela, esse cenário está mudando e o número de engenheiros no País está crescendo.

Questionada sobre a manutenção dos gargalos de obras no PAC, a ministra respondeu "antes, era muito pior. Hoje, temos um número muito maior de empresas", completou.

A ministra também disse que o governo está "sintonizado" para evitar que eventuais greves tenham efeito sobre a economia e a vida das pessoas. Ela disse que o governo tem também um plano de contingência para evitar que serviços essenciais não sejam prestados.

Miriam disse, por exemplo, que os indicadores do IBGE serão divulgados nas datas previstas sem problema de qualidade. "Vamos adotar as medidas que sejam necessárias. Greve é direito do trabalhador deste que assumam as consequências desses atos", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
PAC 2balanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.