MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO
MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO

Brasil perde empregos pelo 20º mês e já elimina 858,3 mil vagas no ano

No mês passado, 166,7 mil vagas com carteira assinada foram eliminadas pelo Brasil

O Estado de S.Paulo

29 Dezembro 2016 | 17h04

O Brasil fechou 116.747 postos de emprego formal em novembro - no ano passado, haviam sido perdidas 130.629 vagas, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta quinta-feira, 29. Foi o 20º mês consecutivo de retração do mercado formal. Os dados mostram ainda que, no acumulado do ano, a queda no emprego atingiu 858.333 postos de trabalho.

O Caged foi divulgado no mesmo dia em que o IBGE mostrou que o número de brasileiros desempregados atingiu um recorde de 12,1 milhões. 

Apenas o comércio teve desempenho positivo em novembro, com acréscimo de 58.961 vagas. A alta foi puxada pelo varejo, que abriu 57.528 postos. A maioria dos empregos foi criada nos segmentos do vestuário e acessórios, seguidos pelos supermercados, comércios de calçados e artigos para viagens.

Entre os setores com resultado negativo, destacaram-se a Indústria de Transformação (-51.859 postos), a Construção Civil (-50.891), os Serviços (-37.959) e a Agricultura (-26.097). Na indústria, a queda ocorreu principalmente nos ramos de produtos farmacêuticos (-12.211), alimentícios (-8.442), têxteis (-6.472) e de calçados (-4.033). Já a Agricultura foi influenciada por fatores sazonais, com ênfase no cultivo de cana-de-açúcar em São Paulo, que, sozinho, fechou 4.478 postos. 

 

Regiões. O Rio Grande do Sul foi o único Estado a registrar saldo positivo de empregos, com a criação de 1.191 vagas formais. Os piores desempenhos foram registrados em São Paulo (-39.675 postos), seguido pelo Rio de Janeiro (-12.438) e Minas Gerais (-11.402). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.