finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

País pode ser 5ª economia do mundo em 2016, diz Dilma

Ministra destacou em seminário em Londres as oportunidades criadas pelas descobertas do pré-sal

DANIELA MILANESE, Agencia Estado

05 de novembro de 2009 | 09h29

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, acredita que o Brasil pode se tornar a quinta maior economia do mundo em 2016. Segundo ela, o objetivo é continuar crescendo juntamente com a redução das desigualdades sociais, como vem ocorrendo nos últimos anos. "O País vive um momento exitoso", afirmou, durante apresentação em seminário organizado pelo Financial Times e Valor.

 

Veja também:

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise

Dilma destacou as oportunidades criadas pelas descobertas do pré-sal, que colocarão o Brasil na lista das maiores reservas petrolíferas do mundo. Segundo ela, o quadro é muito promissor, apesar dos desafios tecnológicos. A ministra afirmou que existe a preocupação de evitar a maldição do petróleo, com baixa industrialização e populações pobres, e a chamada ''doença holandesa''. "Por isso queremos agregar valor e criar uma indústria com escala e competitividade."

Depois de uma apresentação mais técnica sobre os projetos de investimentos brasileiros, como as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Dilma abordou a questão ambiental. "Queremos mostrar que é possível crescer em harmonia com o meio ambiente." Segundo ela, as descobertas de petróleo não irão mudar o caráter renovável da matriz energética brasileira, pois serão mantidos os investimentos em hidrelétricas, biocombustíveis, agricultura e siderurgia verde.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaReino Unidoseminário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.