Fotos Públicas
Fotos Públicas

Conheça as profissões com mais vagas na indústria até 2023

Apenas 22% deles ainda não estão no mercado de trabalho, aponta levantamento feito pelo Senai

O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2019 | 09h20

As vagas de trabalho na indústria deverão aumentar 8,5% até 2023 e o País terá de qualificar 10,5 milhões de pessoas para ocupações no setor até lá­­.

A maioria desses trabalhadores já está no mercado, mas precisará de cursos de capacitação para atender as novas demandas da indústria, enquanto uma parcela de 22% necessitará de formação para ingressar no mercado, segundo o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, um levantamento feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A última vez que o Senai havia feito um estudo semelhante foi em 2017, quando a pesquisa apontou a necessidade de formação de 13 milhões de trabalhadores para o período entre 2017 e 2020.

Segundo o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, não necessariamente a redução na demanda por qualificação tem relação com a crise que o setor industrial enfrenta. “Esse ciclo (de 2019 a 2023) tem padrões tecnológicos distintos do anterior. A economia passou por uma recessão e tende a se recuperar com novas tecnologias que podem necessitar menos mão de obra.”

A indústria da construção civil, por exemplo, precisará qualificar 1,3 milhão de trabalhadores para os próximos anos. Em 2017, esse número era de 3,9 milhões. “A construção também tem passado por mudanças. Hoje, virou quase um processo de montagem, com tecnologias como o drywall”, disse Lucchesi.

Confira os segmentos da indústria que demandarão mais formação profissional nos próximos anos:

  1. Metalomecânica: 1,6 milhão profissionais
  2. Construção: 1,3 milhão
  3. Logística: 1,2 milhão
  4. Alimentos 754 mil
  5. Informática: 528 mil

Pessoas com qualificação transversal (que possam trabalhar em diferentes segmentos, como técnicos de controle de produção), no entanto, serão os mais demandados – será necessário formar 1,7 milhão de profissionais com esse perfil.

O estudo do Senai também analisou a necessidade de qualificar trabalhadores com ensino superior. Nesse caso, será preciso formar 305 mil analistas de tecnologia da informação e 57 mil engenheiros civis até 2023.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.