País registra US$ 1,7 bi em transações com exterior em novembro

A conta de transações correntes do balanço de pagamentos registrou em novembro superávit de US$ 1,737 bilhão. O resultado foi decorrente de um saldo positivo de US$ 4,09 bilhões na balança comercial e um déficit de US$ 2,663 bilhões na conta de serviços e rendas. No mesmo mês do ano passado, a conta de transações correntes registrou déficit de US$ 222 milhões. O chefe do Departamento Econômico do BC (Depec), Altamir Lopes, afirmou que o saldo positivo das transações correntes foi o melhor resultado para meses de novembro.De janeiro a novembro de 2005, a conta corrente brasileira acumula um saldo positivo de US$ 13,711 bilhão. Nos onze primeiros meses do ano a balança comercial apresentou superávit de US$ 40,44 bilhões e a conta de serviços e rendas apresentou déficit de US$ 29,943 bilhões. No mesmo período de 2004, o saldo da conta de transações correntes foi positivo em US$ 10,531 bilhões.Altamir Lopes acrescentou que o acumulado de janeiro a novembro também foi o melhor da série histórica para o período. O chefe do Depec disse que o acumulado de 12 meses também registrou o melhor resultado da série.O chefe do Depec acredita que dezembro deve encerrar com superávit em conta corrente de US$ 1,7 bilhão. Se confirmada a projeção, a conta corrente do balanço de pagamentos deve fechar o ano com um saldo positivo de US$ 15,4 bilhões. Com o desempenho positivo do setor externo, Altamir afirmou que, no próximo relatório de inflação, algumas projeções podem ser revistas. Investimento diretoOs Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) no Brasil somaram em novembro US$ 1,175 bilhão. O resultado é inferior aos US$ 1,319 bilhão que ingressaram no País em novembro do ano passado. No acumulado de 2005, os IED somam US$ 13,787 bilhões, ante US$ 15,016 bilhão nos 11 primeiros meses de 2004. Pesquisa mensal do Banco Central divulgada hoje revela que as projeções de mercado para o fluxo de investimento estrangeiro direto neste ano subiram de US$ 15,50 bilhões para US$ 16 bilhões. Com a alta, as estimativas voltaram ao mesmo patamar de IED estimado em pesquisa divulgada na semana retrasada. Para 2006, as previsões de fluxo de IED aumentaram de US$ 15 bilhões para US$ 15,50 bilhões. Há quatro semanas, estas estimativas estavam em US$ 16 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.