País se compromete a comprar mais gás da Bolívia, diz Villegas

Segundo ministro boliviano, compromisso foi acertado com Lobão durante reunião no Brasil nesta sexta-feira

Leonardo Goy, da Agência Estado,

09 de janeiro de 2009 | 19h58

O ministro de Planificação do Desenvolvimento da Bolívia, Carlos Villegas, disse que na reunião que teve nesta sexta-feira, 9, com o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, o governo brasileiro se comprometeu a aumentar o volume de compra de gás da Bolívia em relação aos atuais 19 milhões de metros cúbicos diários. Nesta semana, Lobão anunciou que as compras de gás boliviano foram reduzidas de 30 milhões de metros cúbicos diários para 19 milhões de metros cúbicos diários.  Villegas, entretanto, não informou qual foi o volume acertado entre as partes, mas disse que "foi um incremento significativo" em relação aos atuais de 19 milhões de metros cúbicos. Segundo Villegas, não haverá alteração no preço gás pago pelo Brasil.  A Petrobras reduziu em cerca de 30% a compra de gás natural boliviano depois que o Operador Nacional do Sistema (ONS) determinou que as usinas termelétricas fossem desligadas, o que foi oficializado nesta sexta-feira na reunião do conselho.  O contrato entre o Brasil e a Bolívia foi assinado em 1999, com duração de 20 anos. O volume contratado pode chegar até 30 milhões de metros cúbicos diários, sendo que 70% desse total tem que ser pago mesmo que o Brasil não use. Segundo a Petrobras, a compra não será inferior a 19 milhões de metros cúbicos.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasGásBolívia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.