País também é o 2º maior importador global

PEQUIM

Cláudia Trevisan CORRESPONDENTE PEQUIM, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2010 | 00h00

Maior exportador do planeta, a China também é um grande importador e em dez anos, entre 2000 e 2009, saltou da oitava para a segunda colocação entre os países que mais compram do resto do mundo. No ano passado, importaram US$ 1 trilhão, o equivalente a 8% do total mundial, e ficaram atrás apenas dos EUA.

O acelerado processo de crescimento dos últimos 30 anos transformou a China no maior consumidor de produtos básicos como minério de ferro e soja, mas quase 70% das importações são de produtos industriais.

Em 2008, antes do impacto da crise global, a China comprou do resto do mundo US$ 1,13 trilhão - US$ 770 bilhões dos quais em bens manufaturados, valor que corresponde a quase quatro vezes as exportações brasileiras naquele ano, de US$ 200 bilhões.

Máquinas e equipamentos de transportes representaram 57% das importações chinesas de produtos industrializados em 2008, com US$ 441,8 bilhões. A seguir, químicos (US$ 119 bilhões) e o grupo de têxteis, artigos de borracha e bens metalúrgicos e minerais (US$ 107 bilhões).

Além de estarem ligadas ao investimento produtivo, as importações têm íntima relação com as exportações, já que metade de tudo o que a China vende ao mundo são bens montados no país com peças produzidas em outras regiões - ou seja, importação para reexportação.

Do Brasil, a China compra principalmente matérias-primas e alimentos. No ano passado, 73% dos embarques de US$ 20,2 bilhões foram compostos de minério de ferro, soja e petróleo. Esse porcentual subiu para 81% de janeiro a julho de 2010, graças ao aumento de 509,5% nos embarques de petróleo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.