Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

País vê antes da Europa novo carro da BMW

Mercado aquecido muda status

Cleide Silva, O Estadao de S.Paulo

13 de agosto de 2009 | 00h00

O mercado de carros de luxo, com modelos que custam mais de R$ 100 mil, segue descolado dos demais segmentos. As vendas de janeiro a julho cresceram 30% em relação a igual período de 2008, num mercado total que cresceu 2,4%. Com dados positivos no Brasil, enquanto nos mercados tradicionais os negócios despencam, importadoras locais conseguem regalias das matrizes.A alemã BMW, com aumento de 28% nas vendas locais (2.161 unidades), mostrou ontem em São Paulo, em primeira mão, o X1, modelo que será oficialmente lançado em setembro no Salão do Automóvel de Frankfurt. "É a primeira vez que conseguimos trazer ao Brasil um produto antes do lançamento mundial", afirma Henning Dornbusch, presidente da BMW no País. A matriz, diz ele, reconheceu o desempenho do mercado brasileiro que, junto com China e Índia, foram os únicos a registrar crescimento neste ano.No semestre, o grupo como um todo teve queda de 19,5%, com 615,4 mil veículos vendidos, resultado do fraco desempenho na Europa e EUA. O X1 só estará à venda em janeiro e o preço não foi revelado - mas ficará abaixo do X3, que custa R$ 241 mil.A Audi teve alta de 27% nas vendas no País, com 1.084 unidades, enquanto o resultado global da marca alemã foi 8,1% inferior ao de 2008. O presidente da Audi do Brasil, Paulo Kakinoff, explica que o grupo adotou a estratégia de lançar, no segundo semestre, um veículo por mês.Desde maio, a Audi multiplicou por dez a verba para eventos regionais, informa Kakinoff. Segundo ele, hoje o consumidor de carro premium não leva em conta apenas o binômio design e desempenho, mas também itens de segurança e tecnologias menos poluentes.A Audi espera encerrar o ano com 2 mil unidades vendidas, ante 1.427 em 2008. A BMW espera atingir marca recorde de 4 mil unidades e recuperar a liderança no segmento, perdida no ano passado para a também alemã Mercedes-Benz, após seis anos no topo. A BMW conta com ajuda extra do Mini, que começou a ser importado em abril. "Temos fila de espera de 100 unidades", diz Dornbusch.O segmento de alto luxo vendeu, até julho, cerca de 7,8 mil veículos dos modelos Audi, BMW, Ferrari, Maserati, Mercedes-Benz, Jaguar, Porsche e Volvo, comparado a 5,8 mil unidades em 2008, segundo os importadores. Só os modelos superesportivos Jaguar, Ferrari e Porsche tiveram desempenho negativo. Fabricantes nacionais informam que o mercado total brasileiro cresceu 2,4%, para 1,73 milhão de unidades. A Associação Brasileira das Empresas Importadoras (Abeiva), que representa 15 marcas, entre as quais a coreana Kia, contabiliza no ano vendas de 16,5 mil unidades, 4,88% a menos que em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.