Países americanos querem antecipar erradicação da aftosa

Os países americanos decidiram acelerar as ações para erradicar a febre aftosa do continente até 2007, disse o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues. A meta anterior era eliminar a doença da região até 2009. Rodrigues participou na semana passada da Conferência Hemisférica para Erradicação da Febre Aftosa, que reuniu os ministros da Agricultura dos países das três Américas em Houston, Estados Unidos. A decisão é uma resposta às preocupações sanitárias recentes, explicou Rodrigues, citando a crise da doença da vaca louca e a gripe avícola. O ministro participou ontem da abertura oficial da colheita do arroz no Rio Grande do Sul, maior produtor nacional do grão e que responde por quase a metade da safra brasileira. O evento foi realizado em Santa Vitória do Palmar, a 510 quilômetros de Porto Alegre, na fronteira com o Uruguai. Os países das Américas irão criar um grupo de trabalho para implementar as ações contra a aftosa, com recursos que serão gerados por um novo fundo a ser formado, descreveu Rodrigues. Durante sua visita à área que serviu de sede para a abertura simbólica da colheita do arroz, Rodrigues teve uma reunião com técnicos de sanidade animal do Brasil e Uruguai, além do ministro de Pecuária, Agricultura e Pesca do país vizinho, Martín Aguirrezabala. Rodrigues recebeu dos técnicos uma proposta de vigilância zoossanitária da área de fronteira. Ela prevê a definição de uma zona de ação conjunta de 25 quilômetros de cada lado da divisa entre os dois países, onde há uma população de 653 mil bovinos e 352 mil ovinos. O grupo propõe, para 2004, a vacinação simultânea do rebanho nesta área, treinamento dos técnicos em epidemiologia e ações de educação sanitária. Eles também sugerem a inclusão da Argentina no projeto. O ministro disse que haverá uma reunião técnica em Montevidéu, Uruguai, nos dias 25 e 26 de março, que vai estimar os recursos necessários para este plano. O encontro terá representantes dos países do Mercosul, mais Chile e Bolívia.

Agencia Estado,

08 Março 2004 | 11h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.