coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Países da América querem convencer UE a apoiar Argentina

Os países da América Latina pretendem convencer a União Européia (UE) aconclamar a comunidade financeira internacional a oferecer apoio a Argentina. Reunidoshoje, representantes de 33 países da América Latina e Caribe finalizaram a sua proposta para a declaração política conjunta que marcará cúpula que reunirá os chefes deEstados dos dois continentes nos próximos dias 17 e 18 na capital espanhola. AArgentina solicitou a inclusão de um parágrafo que exorta "a boa compreensão e a ação"dos organismos financeiros em relação à crise que assola a sua economia.Diplomatas europeus e latino-americanos vão negociar o teor do documento nestassegunda-feira e terça-feira em Madri. Fontes diplomáticas, no entanto, acreditam serimprovável que os países europeus aceitem incluir o texto na declaração final sem exigiralterações substanciais. Nas semana passada, os ministros da Economia dos 15 paísesda UE reiteraram que o governo argentino precisa adotar uma série de medidas parareconquistar a confiança internacional. Apesar da Espanha - que preside atualmente a UE - ter uma posição mais favorável auma ajuda externa à Argentina, por causa de seus grandes investimentos naquele país,os demais governos europeus não devem aceitar a proposição de ajuda incondicionalapre sentada pelos latino-americanos.O mais provável é que a declaração conjunta fique "morna", como descreveu umdiplomata europeu. "A Argentina será um dos principais temas das conversas doschefes de Estado e obviamente não pode ser excluída da declaração final, mas os doislados vão sua r muito para fechar um texto que contente a todos", disse ele. "A UE nãodeve assinar um cheque em branco, ela quer ações concretas, como por exemplo osaneamento fiscal e a proteção do sistema financeiro" . O presidente Eduardo Duhaldedeverá manter encontros privados com vários líderes europeus. Na quinta-feira, eledeverá se reunir com o presidente Fernando Henrique Cardoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.