Países da zona do euro precisam de reformas duras, diz Stark

Para Jürgen Stark, integrante do Conselho Executivo do Banco Central Europeu os países da região precisam implementar reformas estruturais para fomentar a competitividade

Renato Martins, da Agência Estado,

26 de janeiro de 2011 | 16h32

Jürgen Stark, integrante do Conselho Executivo do Banco Central Europeu (BCE), disse que os países da zona do euro precisam adotar uma coordenação de políticas fiscais muito maior e submeter-se a reformas estruturais duras. "Ao invés de continuar a negar que a participação em uma união monetária restrinja as políticas econômica e fiscal nacionais, cada membro precisa aceitar a realidade do euro", afirmou Stark durante evento na cidade portuária de Kiel, no Norte da Alemanha.

Segundo ele, os governos dos países da zona do euro precisam consolidar ainda mais seus Orçamentos e implementar reformas estruturais para fomentar a competitividade. Stark acrescentou que isso é ainda mais importante porque os países da região não têm como desvalorizar a moeda. "Menos liberdade e mais automatismo são a chave para uma zona monetária mais estável e um Pacto de Estabilidade e Crescimento com mais credibilidade", disse o diretor do BCE. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.