Países em crescimento puxam consumo de combustível, afirma Gabrielli

Neste contexto, o presidente da Petrobrás lembrou que é fundamental para esses países diminuir o desperdício e otimizar o uso de energia

Kelly Lima, da Agência Estado,

27 de setembro de 2011 | 17h37

O presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli, abriu nesta terça-feira, 27, o 4º Congresso Internacional de Desenvolvimento Sustentável destacando que o desenvolvimento de nações como o Brasil ocorre com a redução de diferenças sociais e isso deverá estimular o consumo de combustíveis em uma escala cada vez maior nos próximos anos. Ressaltando que o aumento da demanda de combustíveis no mundo hoje vem dos países em desenvolvimento, ele lembrou que os combustíveis fósseis ainda representam dois terços do consumo no mundo.

"É um desafio ambiental fundamental de sustentabilidade para esses países combinar a disponibilidade de fontes primárias de energia com eficiência energética. Isso significa diminuir desperdício, otimizar o uso de energia", disse. Ele citou que a companhia tem vários programas nesta linha, entre eles o de reduzir em 65% a intensidade da queima de gás nas unidades de produção.

Além disso, Gabrielli destacou que o Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes) tem buscado alternativas eficientes na área de combustíveis alternativos. "Temos patentes na produção de etanol a partir de lignocelulose. Já estamos entrando na fase de produção pré-industrial até 2015. Também estamos avançando para o desenvolvimento de uso de combustíveis com melhores motores e maior aproveitamento, além da redução de emissões".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.