Países reduzem diferenças agrícolas e querem mais diálogo na OMC

Membros da Organização Mundial doComércio (OMC) estão reduzindo suas diferenças a respeito dequestões agrícolas em busca de um novo acordo comercial global,mas ainda querem conversar mais, disse na sexta-feira ocoordenador das negociações agrícolas da chamada Rodada Doha,lançada há seis anos. Embora a agricultura tenha representado apenas 8 por centodas exportações mundiais em 2006, trata-se de uma atividadeessencial para os países em desenvolvimento, justamente os quedeveriam ser os mais beneficiados pelo novo tratado. Crawford Falconer disse a jornalistas após uma reunião dos151 membros da OMC que já há material suficiente, após apenasquatro meses de discussões, para produzir o esperado texto-basepara o acordo. Mas Falconer alertou que a maioria dos países quer maisdiscussões quando esse texto-base estiver pronto, antes depassar ao próximo estágio da Rodada Doha -- as ditas"negociações horizontais", em que os governos vão buscarbarganhas envolvendo agricultura, indústria e serviços. "Sou capaz de fazer um esboço revisto. Fizemos muitosprogressos", disse Falconer a jornalistas, admitindo que restammuitas questões complexas por resolver. Falconer, embaixador neozelandês na OMC, pretendeapresentar o texto-base até o final do mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.