Palio pode ter falha no cinto de segurança

A subsidiária brasileira da Fiat está refazendo os testes com o modelo Palio EX 1.0 para analisar uma eventual possibilidade de falha no cinto de segurança no modelo. O estudo técnico da montadora envolve especialistas brasileiros e italianos, que viajaram para o País esta semana com o objetivo de concluir a análise. A necessidade de novos testes foi motivada por uma simulação de impacto realizada pela revista Quatro Rodas com quatro modelos 1.0 mais vendidos no País - Gol (Volkswagen), Corsa (General Motors), Fiesta (Ford) e Palio Young (Fiat). Durante o teste, o cinto de segurança do modelo da montadora italiana teria se soltado. "Estamos estudando o laudo para chegar à avaliação final", afirmou o diretor de Comunicação da Fiat, Marco Antônio Lage.A posição oficial da empresa deve ser divulgada ainda nesta semana. Na última segunda-feira, diretores da Fiat entregaram um relatório com explicações sobre o problema à Quatro Rodas, sem mencionar, no entanto, suas futuras ações com relação aos consumidores. Possível defeito pode atingir 400 mil veículosA montadora, por enquanto, não quer falar em recall. Informações não oficiais obtidas pela Agência Estado, entretanto, dão conta de que, caso a Fiat decida substituir o atual sistema do cinto do Palio 1.0, a convocação atingiria mais de 400 mil veículos. O número é baseado na produção da versão mais simples do Palio a partir do final de 1997 ou início de 1998, quando os componentes atuais teriam sido adotados nos carros da Fiat. Uma eventual falha atingiria todos os modelos do Palio 1.0 que utilizam uma alavanca lateral para o ajuste do encosto dos bancos, o que incluiria o Palio Young, comercializado atualmente, mas excluiria as outras versões do Palio, lançadas no mês passado. Fiat diz que teste da revista é diferente do teste da montadora no BrasilO diretor de Comunicação da Fiat garante que a empresa está absolutamente tranqüila com relação à segurança do modelo. A montadora alega que o teste de impacto feito pela revista foi realizado com base na norma norte-americana e que o veículo está de acordo com as legislações brasileira e européia. De acordo com a Fiat, o critério americano é diferente dos testes feitos no Brasil e na Europa, para onde o carro é exportado. "Não verificamos nenhum caso de falha nos cintos de segurança em acidentes envolvendo o Palio", sustentou Lage.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.