Palocci agrada e mercado dá pausa no pessimismo

Depois de cinco pregões em crise, o mercado financeiro terminou a terça-feira mais otimista. Segundo operadores, a fala do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, agradou e os investidores estrangeiros pararam de vender os títulos da dívida externa brasileira.Por volta das 18h40, o C-Bond valorizava 1%, a US$ 0,98. O risco Brasil caía 11 pontos, para 512 pontos-base. A bolsa paulista encerrou o pregão em alta de 2,27%, com volume negociado de R$ 1,219 bilhão. O dólar comercial operou em baixa o dia todo e encerrou cotado a R$ 2,918, queda de 0,88% - após sete dias em alta. O mercado monetário seguiu a tendência e as taxas futuras recuaram. O DI de janeiro/05, o mais negociado, fechou em 15,69%, contra 15,81% da segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.