Palocci defende BC e diz que investimento é avaliado sempre

O Banco Central (BC) avalia a cada momento, e de modo correto, se os investimentos dão conta dos gargalos da produção. A afirmação é do ministro da Fazenda, Antônio Palocci, em resposta ao questionamento sobre a necessidade de o BC aumentar os juros para conter a inflação. Isso apesar dos investimentos estarem crescendo o dobro da renda, o que eleva a produção e favorece a queda dos preços. De acordo com os dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o investimento cresceu 6,7% no terceiro trimestre sobre o segundo trimestre. A alta é a maior nessa base de comparação registrada desde 1994 e, segundo o instituto, "ratifica a retomada iniciada no terceiro trimestre de 2003". Os investimentos cresceram também na comparação com o terceiro trimestre do ano passado, com aumento de 20,1%, a maior taxa desde 1995. No ano, os investimentos acumularam alta de 11,8%, também a maior taxa desde 1995. Ele disse também que apesar de os investimentos estarem acontecendo de maneira consistente, eles não são planejados ponto a ponto. "Pode ter um desacerto em determinadas áreas, que se expressa nos preços", afirmou o ministro. Ele destacou, ainda, que se não estivesse havendo investimentos certamente haveria um problema inflacionário a ser combatido no médio prazo. Ele disse que "com investimentos consistentes certamente os problemas inflacionários no futuro devem ser pequenos". Leia mais sobre o PIB: Cai a participação dos trabalhadores no PIB, cresce a de empresas Lula está eufórico com resultado do PIB, diz ministro IBGE revê recessão do primeiro ano do governo Lula Palocci diz que crescimento veio sem "mágica ou medida exótica" País cresceu mesmo após a crise de 2002, destaca Meirelles PIB norte-americano cresce acima do esperado PIB cresce 6,1% no terceiro trimestre; maior alta em 8 anos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.