Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Palocci defende medida criticada pelos governadores

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, defendeu hoje, em discurso no Congresso do Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS), a isenção dos produtos exportáveis proposta na reforma tributária. Este tema foi um dos pontos mais criticados pelos governadores na semana passada quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou as propostas de reforma ao Congresso.O ministro disse que as duas propostas de reforma apresentadas pelo governo permitirão um ajuste mais sustentado das contas públicas trazendo resultados positivos, tanto para o setor público quanto para o privado. Isso porque, segundo Palocci, a redução da necessidade de financiamento do setor público provocará uma queda dos prêmios pedidos para a colocação de papéis do governo e isso trará uma redução da taxa real de juros.Palocci se comprometeu a defender a redução das barreiras impostas pelo mercado internacional aos produtos siderúrgicos brasileiros, além de trabalhar pela queda dos custos de logística do setor produtivo. "É urgente uma reestruturação no marco regulatório para usarmos melhor os recursos destinados à infra-estrutura e o transporte. Isso é um ponto central do nosso projeto de desenvolvimento", afirmou.O ministro disse ainda que o governo tem o firme compromisso de não fazer um ajuste fiscal baseado em mecanismos que utilizem a inflação ou o aumento da carga tributária. Segundo ele, a política econômica que vem sendo adotada já mostrou resultados. Como exemplo, ele citou a superação da meta de superávit primário do primeiro trimestre, a queda do risco país e os valores recordes alcançados pelos títulos da dívida brasileira, os C-Bonds, no mercado internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.