Palocci discorda do Banco Central sobre crescimento da economia

Apesar da projeção do Banco Central de um crescimento de 1,5% da economia este ano, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, está mais otimista e afirmou que acredita num crescimento em torno de 2%. Para justificar o baixo crescimento da economia, o ministro afirmou que essas são as condições em que o País vive agora, após sair da crise do ano passado.Ele destacou que apesar da crise, não houve decréscimo do PIB no ano passado e nem haverá este ano. Palocci ressaltou que em muitos países que tiveram crise de oferta, como a enfrentada pela economia brasileira em 2002, houve perdas de 4% a 7% no PIB. Ele destacou que o Brasil é uma exceção porque conseguiu sair de uma crise de "grandes proporções sem queda do PIB".Ele disse que o importante é garantir uma agenda de crescimento, mas evitou comentar o "espetáculo do crescimento" prometido pelo presidente Lula estaria adiado. "O mais importante é garantir que o País saia de um processo de ajuste, de uma crise de grandes proporções e comece a crescer". disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.