Palocci diz que ao falar de ajustes não deu sugestão ao Copom

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, esclareceu nesta tarde que não deu nenhuma opinião sobre o que o Copom deverá fazer na sua próxima reunião, ao comentar que a expansão da economia poderá eventualmente exigir algum ajuste. "O que eu disse foi que o processo de desenvolvimento exige da política econômica, ao longo dos anos, ajustes em suas medidas para que se ajustem às necessidades do desenvolvimento sustentado", disse, referindo-se às interpretações do mercado. Ele reafirmou que o Copom tem total autonomia para tomar as suas decisões."O Copom tem sido vitorioso na aplicação da política monetária do País", afirmou. O ministro disse ainda que está tranqüilo quanto a condução da Política Monetária pelo Copom e reafirmou que o controle da inflação é essencial, porque ela prejudica a renda das famílias e com isso reduz o consumo, que é um dos motores do crescimento econômico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.