Palocci diz que FMI não manda na economia brasileira

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmou na noite desta quinta-feira que ainda não há uma decisão sobre uma possível renovação do acordo com o FMI, que vence em setembro. "Vamos avaliar isso nos próximos meses, mas ainda não há uma decisão", disse. Palocci garantiu que a relação do governo Lula com o FMI permitiu um apoio do Fundo e não um programa de ações determinado pelo organismo internacional. Segundo ele, o acordo firmado no ano passado foi importante para equilibrar as contas brasileiras. "Esse apoio nos trouxe o benefício dos recursos e a autonomia política", disse. Na avaliação dele, as novas revisões do atual acordo se darão "de maneira simplificada", assim como foi feito na última revisão, em maio. "Essa nova relação de ampla autonomia de política econômica e cumprimento das metas permite dizer que o acordo foi muito bom". Na próxima semana, chegará ao Brasil uma nova missão do FMI para revisão de julho/agosto do acordo (quarta revisão do acordo vigente).

Agencia Estado,

24 Julho 2003 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.