Palocci elogia ajuste fiscal de Alckmin e dá aval a empréstimo

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, elogiou hoje a política de ajuste fiscal do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, após encontro de cerca de uma hora com o governador no Palácio dos Bandeirantes. "O Estado de São Paulo é um parceiro fundamental na conduta das contas e dos projetos para que o País encontre o caminho melhor", disse o ministro. Questionado se o encontro tinha ocorrido por determinação do presidente Lula, como forma de aproximar mais os tucanos do governo federal, Palocci negou. "Nunca me considerei distante do governador Alckmin". Alckmin disse que acertou com Palocci um empréstimo do BNDES de R$ 1,2 bilhão para a amortização da dívida da Cesp com o próprio banco federal e com o Tesouro. "Esse pedido de empréstimo faz parte da reestruturação da dívida da Cesp. Já havíamos realizado negociação semelhante com o setor privado e agora estamos trabalhando com o setor público", afirmou. Segundo dados do governo do Estado, as dívidas da companhia energética chegam a US$ 3,5 bilhões. Alckmin disse que também discutiu com Palocci o fundo de exportação dos governo estadual e federal. Segundo ele, o valor desse fundo era de R$ 4,5 bilhões, porém, no Orçamento da União, aparece apenas R$ 4,3 bilhões. "Cobramos do ministro essa diferença de R$ 200 milhões e ele concordou conosco", afirmou o governador. Ainda segundo Alckmin, foram discutidos pedidos de financiamentos para a construção da linha quatro do Metrô, obras de saneamento ambiental na Baixada Santista e a modernização da Secretaria da Fazenda . "Estamos aguardando aprovação desses financiamentos para que eles possam ir ao Senado", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.