Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Palocci promete crescimento forte em 2006

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmou hoje que o Brasil deve ter em 2006 um ano de crescimento forte e que o País está preparado para enfrentar eventuais turbulências internas e externas. Isso porque, de acordo com ele, o governo conseguiu melhorar o perfil da dívida interna e externa. Palocci destacou que isso foi possibilitado pelo superávit recorde na balança comercial e também pelas reservas internacionais, que devem fechar 2005 em torno de US$ 55 bilhões."O quadro externo nunca foi tão bom. O resultado é a melhora, a cada dia, do endividamento", afirmou Palocci. Ele citou a eliminação da dívida em C-Bonds, o pagamento ao FMI, a antecipação do pagamento ao Clube de Paris, além de, pela primeira vez, o Brasil ter emitido títulos da dívida externa em reais. "Esse conjunto de medidas fez o risco-país cair para algo em torno de 300 pontos", disse.O ministro da Fazenda afirmou que o Banco Central "teve sucesso" e fez um "esforço suplementar" na tarefa de manter a inflação sob controle, após a alta nos preços que começou após o forte crescimento econômico em 2004.Palocci reafirmou o compromisso com a estabilidade de preços. "Não há espaço para termos negligência no combate à inflação. Quando não se faz o ajuste na inflação, ela mesmo faz ajuste no crescimento de forma negativa", disse.O ministro admitiu que a alta nos juros para controlar a inflação teve um custo, mas tem um efeito positivo de longo prazo para garantir o crescimento sustentável. Palocci afirmou que o trabalho do Banco Central, bem como o esforço nas demais áreas do governo, prepararam as bases para o crescimento com a criação de emprego e renda no futuro.Ele disse ainda que todo o esforço feito pela equipe econômica tem sido sustentado e apoiado pelo presidente Lula da Silva.

Agencia Estado,

23 de dezembro de 2005 | 10h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.