Palocci promete desenvolvimento com estabilidade

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci Filho, afirmou hoje que o governo Luiz Inácio Lula da Silva será mais atuante que o governo Fernando Henrique Cardoso nas políticas de crescimento econômico e de distribuição de renda. "Não acreditamos, como se acreditou por muitos anos no Brasil, que a estabilidade gera crescimento", disse em Washington. "Crescimento e distribuição de renda não vêm por geração espontânea."Palocci disse que o governo fez um "planejamento ordenado" para estimular as duas coisas, tendo como premissa básica a estabilidade econômica. "O Brasil já cresceu sem distribuir renda e distribuiu renda sem crescer", afirmou. A busca por mais investimentos internos e externos e de mais comércio, disse, permitirá ao País atingir o crescimento sustentado e executar programas de distribuição de renda.Barreiras dos ricosPalocci criticou os países desenvolvidos por não atenderem o pedido do Brasil de derrubar barreiras protecionistas ao comércio e reduzir subsídios. "Não só os Estados Unidos, como os demais países desenvolvidos, têm mostrado dificuldade em mexer com esses temas", disse. "Mas não deixaremos de colocar como prioridade. Essa é a prioridade das prioridades do Brasil."O ministro disse que a batalha por um comércio mais aberto não representaria "nenhum favor" ao Brasil. "Nos desenvolvemos competitividade e queremos que ela se expresse em comércio aberto", disse. Ele afirmou que esses temas são difíceis até mesmo quando tratados pelos países desenvolvidos entre si. "Entre Estados e Europa há também uma discussão complexa com relação a subsídios agrícolas", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.