Palocci reafirma "compromisso de ouro" do governo

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, disse hoje que há um ?compromisso de ouro de não elevar a carga tributária e trabalhar para reduzi-la no médio prazo". Segundo ele, a nova Cofins contribuirá "de forma expressiva" para elevar a competitividade da economia e também da indústria. "A política tributária tem que favorecer, e não inibir, os investimentos", afirmou. Em defesa da reforma tributária, o ministro chamou a atenção ainda para a desoneração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre as exportações com contrapartida dos Estados. Palocci afirmou que o País está em momento de mudança na economia, com sinais consistentes de retomada do nível de atividade e com a trajetória de queda dos juros, mostrando a confiança no Banco Central de que há espaço para que haja crescimento sem inflação. O ministro destacou várias vezes que o atual governo não pretende repetir os erros do passado, em que taxas de crescimento da economia eram imediatamente sucedidas por novas desacelerações da atividade. "Cabe ao governo construir as condições necessárias para que a economia tenha uma trajetória estável de crescimento, após duas décadas de estagnação da renda per capita", afirmou. Palocci acrescentou que "não podemos repetir os erros do passado, quando os erros fiscais eram financiados pelo aumento da inflação ou da carga tributária". Disse ainda que a política macroeconômica atual tem como objetivo promover uma queda sustentável das taxas de juros de mercado e elevar as taxas de investimento. Redução de juros é necessárioO ministro disse ainda que a redução das taxas de juros é um aspecto vital para a retomada do consumo das famílias e dos investimentos. Ele destacou que o crescimento sustentado perseguido pelo governo torna fundamental um alicerce fiscal que garanta o equilíbrio da economia. Segundo ele, a agenda do desenvolvimento terá que enfrentar as restrições de financiamento para garantir a expansão da infraestrutura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.