Palocci recebeu pedido de regulamentação de salvaguardas contra China

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo(Fiesp), Paulo Skaf, afirmou que participou ontem de jantar em torno do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em São Paulo. Skaf disse não ser elegante informar quem organizou e quem participou do jantar. Limitou-se apenas a comentar que um dos temas de destaque do encontro foi a cobrança do setor privado à regulamentação de salvaguardas contra as importações predatórias de bens de consumo da China.Segundo ele, os setores têxtil e de confecção, de calçados, de eletroeletrônicos e óptico se sentem ameaçados pela China. A decisão de adotar as salvaguardas foi anunciada há meses pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), mas a regulamentação não acontece.Agenda mínimaSkaf, cuja assessoria afirmou ontem que ele não participaria da reunião convocada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), para discutir hoje a agenda mínima, está no evento. Há pouco, ele teve uma reunião reservada com o presidente da entidade nacional, Armando Monteiro Neto, para discutir temas controversos da agenda.O presidente da Fiesp defende, por exemplo, a aprovação, pelo Congresso, da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, a reforma da Lei de Concorrência e a proibição da importação de pneus usados. "Na verdade, o mais importante da agenda mínima é a provocação que o setor privado faz ao Executivo e ao Legislativo de que o País tem de andar", afirmou.Skaf admitiu que não há espaço, neste momento, para que a agenda mínima, em preparação pelo setor privado, para blindar a economia da crise política, inclua temas que exigem grande mobilização, como as reformas trabalhista e sindical.

Agencia Estado,

04 de agosto de 2005 | 18h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.